Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado do Rio de Janeiro
Cresce número de celulares com receptor de rádio FM
Publicada em 28/09/2016

Uma pesquisa da North American Broadcasters Association mostra o crescimento do número de aparelhos de celular smartphones que oferecem a recepção de rádio FM, nos Estados Unidos. De acordo com o levantamento, 35% dos smartphones no país norte americano, no primeiro trimestre deste ano, contam com recepção de rádio FM. No trimestre anterior, essa número correspondia a 30,8%. No Brasil este número supera a casa dos 57%.

O crescimento, segundo a pesquisa, se deve à mudança da Samsung em relação ao rádio FM. Os novos modelos da marca Galaxy "S7" e "S7 Edge" são fabricados com a antena para receber o sinal do rádio.

A ABERT lançou, no final de 2014, a campanha “Smart é ter rádio de graça no celular” para orientar a população, na hora de comprar um celular, a escolher um aparelho com chip de rádio FM integrado. A mesma campanha busca sensibilizar a indústria a fabricar aparelhos com o receptor de rádio FM.

Um levantamento da ABERT de 2016 mostra que dos aparelhos celulares à venda no mercado, 8% já vêm com chip de rádio FM integrado. Nos celulares até R$ 300, esse índice chega a 100%.

“O aumento de rádios com receptor FM é um avanço muito significativo para as emissoras e para o consumidor de rádio, ainda mais agora com o processo de migração do rádio AM/FM em andamento. O ouvinte tem mais um canal para acompanhar notícias, músicas, esportes e informações, e o mais importante, de graça, sem a necessidade de usar pacote de dados da internet”, afirma o diretor geral da ABERT, Luis Roberto Antonik.

Os smartphones vieram para ficar

De acordo com a pesquisa da empresa Kantar Worldpanel Comtech, nove em cada dez brasileiros já têm um celular, sendo que 57% da população possui smartphone.

Os dados deste ano revelam também que há um mercado a ser explorado, mesmo com a crise econômica. "A posse (de smartphone) é muito maior nas classes mais altas", diz Danielle Rossi, gerente de contas da Kantar e responsável pela pesquisa.

Os donos de aparelhos celulares com valores entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil passaram de 8,5% em 2014 para 13,7% no segundo trimestre de 2016; aqueles com aparelhos acima de R$ 1,5 mil passaram de 4,5% para 8,2%. E smartphones entre R$ 500 e R$ 1 mil ainda dominam, com 81% do mercado.

A ABERT afirma está atenta à questão e faz propaganda desencorajando a compra de aparelhos que não oferecem a funcionalidade do FM, como o iPhone, da Apple. A linha de publicidade defendida pela ABERT contra a compra de celulares sem rádio FM tem tido resultados positivos: entre os celulares de até R$ 300, 100% já incluem a opção do rádio FM. Quando considerados os smartphones chamados 'top de linha', o percentual total dos modelos equipados com receptor FM fica em 78% revela a pesquisa da Abert, mas o número é bem maior que os 30% percebidos no mercado brasileiro em 2009.

"A publicidade tem que ser agressiva, como por exemplo, "Celular sem rádio FM não presta", afirma Antonik.

Percentual de vendas de modelos de aparelhos celulares com receptor de rádio FM integrado:

Percentual de vendas de modelos de aparelhos celulares com receptor de rádio FM integrado
Região 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
Brasil 3,3% 5,9% 12,0% 18,1% 26,7% 35,5% 45,2% 56,0% 63,0% 88,0% 88,0% 81,0% 78,0%

Fonte: Gartner, Dataquest Insight e Abert

Entretanto, este novo cenário traz mais preocupação para o empresário de rádio, o número de aparelhos celulares equipados com receptor de FM caiu dez pontos percentuais de 2013 para 2016, de 88% para 78%. Essa queda aconteceu porque os ouvintes estão escutando mais rádio pela internet do aparelho que pelo receptor de FM.

“Esse avanço dos Smartphones é muito importante para todos. Mas acreditamos que o melhor é o ouvinte, ao comprar o celular, busque o aparelho que tenha também a opção de receptor de FM integrado e não precise usar os dados de internet para ouvir a emissora favorita,”, reforçou Antonik.

1 1
AERJ Todos os direitos reservados